Apresentação

Direito, argumentação e comunicação: Desafios para o século XXI

Problemas jurídicos sempre surgem em termos relativos ao fato de determinadas pessoas terem conflitos concretos entre si ou com a generalidade dos cidadãos, uma generalidade representada pelo Estado ou pela lei, em correspondência com as características de um determinado assunto. Instituições, sejam judiciárias, o poder executivo, legislativo ou mecanismos alternativos de resolução de disputas, estão envolvidas, em todos os países democráticos: desenvolvidos ou em desenvolvimento, para ajudar a resolvê-los, propondo uma solução pacífica, atendendo e satisfazendo, na medida do possível, os interesses, crenças e valores em que os envolvidos confiam. Interesses e crenças que refletem, em qualquer caso, na forma de argumentos e comunicações, colocadas em ação entre todos: cidadãos e agentes legais, considerando que o uso desses recursos é requerido, cada dia mais, pela existência de fatos complexos como os resumidos abaixo e que acontecem e provavelmente acontecerão nos próximos anos do século XXI.

Um desses fatos é constituído pela circunstância de que, embora os problemas ou questões estejam relacionados às pessoas, uma análise imediata dos mesmos mostra que, na atualiade, o momento da sociedade global e interconectada, agentes que fazem parte de conflitos como causas diretas ou indiretas deles são atores de desenvolvimento econômico, político e social, como empresas multinacionais ou mesmo os canais de comunicação, o que requer o uso de argumentos ou comunicações que muitas vezes são novos: eles não são coletadas, explícita ou implicitamente, no texto das leis, constituições e princípios legais.

Enquanto o próprio fato da existência de diversidade étnicas e culturais, próprias do pluralismo jurídico político e econômico, a plurinacionalidade, em vigor no mundo todo, requer reformulação do Estado de Direito, que exige pensar e agir na eficácia dos direitos reconhecidos e a existência de outros modos de vida, diferentes dos das culturas sociais dominantes. Direitos que devem ser defendidos por meio dos mecanismos gerais de argumentação e comunicação existentes, que são o núcleo básico do que o Direito e as instituições fornecem como meio de resolver conflitos em uma sociedade democrática.

Devemos pensar que o surgimento de novos sujeitos e direitos requer uma reconfiguração do Estado e de suas instituições: os novos direitos da natureza, das relações sociais e jurídicas destacam novos desafios e a elaboração de um novo entendimento do alcance e eficácia das constituições. Em suma, é necessário fazer um balanço e propor novas soluções para as experiências, avanços teóricos e desafios que surgem para o constitucionalismo, a implementação da democracia e a salvaguarda dos direitos humanos e da natureza. Isto significa que temos de repensar a teoria do direito e direito constitucional, mas também, todo o sistema em geral, com base em experiências e necessidades nacionais como objeto de uma produção acadêmica autêntica: jurídica, interdisciplinar e internacional, observando o papel que jogam as intituições na solução de problemas e nas políticas públicas como formas renovadas de desenvolvimento, atendendo não somente à satisfação da economia, mas também à igualdade ou à participação democrática de todos na solução de problemas legais.

É por tudo isso que estão convidados a participar fazendo propostas de soluções para os problemas jurídicos ao abrigo da solução para todos os ramos de Direito no VIII Encontro Internacional do CONPEDI sobre "Direito, argumentação e comunicação: desafios para o século XXI" que coorganizado pelo CONPEDI e a la Facultad de Derecho de la Universidad de Zaragoza, serão realizados nesta cidade, na Espanha, entre os dias 6 e 7 de setembro de 2018.

 

Arte_Final 25 (2)



Presentación

Derecho, argumentación y comunicación: desafíos para el siglo XXI

Los problemas jurídicos se plantean siempre en términos relativos a que determinadas personas tienen conflictos concretos entre sí o con la generalidad de los ciudadanos, generalidad representada por el Estado o la ley, en correspondencia a las características de determinado asunto. Las instituciones, bien sea el poder judicial, el poder ejecutivo, el legislativo o los mecanismos alternativos de solución de conflictos, se ocupan, en todos los países democráticos: desarrollados y en vías de desarrollo, de ayudar a su resolución proponiendo una solución pacífica, atendiendo y satisfaciendo, en la medida de lo posible, los intereses, creencias y valores en los que confían los implicados. Intereses y creencias que plasman, en todo caso, en forma de argumentos y comunicaciones, puestas en acción entre todos: ciudadanos y agentes jurídicos, atendiendo a que el uso de estos recursos es requerido, cada día mas, por la existencia de hechos complejos como los que se resume a continuación y que suceden y van a suceder con toda probabilidad en los próximos años  del siglo XXI.

Uno de estos hechos es el constituido por la circunstancia de que si bien los problemas o asuntos están referidos a personas,  un análisis inmediato de los mismos da cuenta de que en la actualidad, momento propio de la sociedad global e interconectada, agentes que forman parte de los conflictos como causantes directos o indirectos de los mismos son actores del desarrollo económico, político y social, como las empresas multinacionales o los mismos canales de comunicación, lo que exige la utilización de argumentos o comunicaciones  que en muchas ocasiones son nuevos: no están recogidos, explícita o implícitamente, en el texto de las leyes, constituciones y principios jurídicos.

A la vez el mismo hecho de la existencia de diversidades étnicas y culturales, propias del pluralismo jurídico político y económico, de la plurinacionalidad, en vigor en todo el mundo, exige una refundación del Estado de Derecho, requiere pensar y actuar sobre la efectividad de los derechos reconocidos y la existencia de otros modos de vida, diferentes a los de las culturas sociales dominantes. Derechos que tienen que ser defendidos por medio de los mecanismos generales de argumentación y comunicación existentes, que son el núcleo básico de lo que el Derecho y las instituciones proporcionan como medio de solución de los conflictos en una sociedad democrática.

Hemos de pensar que la aparición de nuevos  sujetos y derechos precisan de una reconfiguración del Estado y sus instituciones: los nuevos derechos de la naturaleza y de las relaciones sociales y jurídicas ponen de relieve nuevos desafíos y la elaboración de una nueva comprensión del alcance y eficacia de las constituciones. En definitiva hace falta hacer balance y plantear nuevas soluciones para las experiencias, avances teóricos y desafíos que surgen para el constitucionalismo, la puesta en acción de la democracia y la salvaguardia de los derechos humanos y de la naturaleza. Esto significa que  hace falta repensar la teoría del derecho y el derecho constitucional, pero también, en general, todo el ordenamiento, atendiendo a experiencias y necesidades nacionales como objeto de una producción académica auténtica: jurídica, interdisciplinar e internacional, observando el papel que juegan las instituciones en la solución de los problemas y en las políticas públicas como formas de desarrollo renovadas atendiendo no sólo a la satisfacción de la economía o la eficiencia sino también a la igualdad o la participación democrática de todos en la solución de los problemas jurídicos.

Es por todo lo anterior que se invita a participar realizando propuestas de soluciones a problemas jurídicos objeto de solución por todas las ramas del Derecho en el VIII Encuentro Internacional de CONPEDI sobre “Derecho, argumentación y comunicación: desafíos para el siglo XXI” que, coorganizado por CONPEDI y la Facultad de Derecho de la Universidad de Zaragoza, tendrá lugar en esta ciudad, en España, entre el 6 y el 7 de septiembre de 2018.



Submissão de Artigos

SUBMISSÕES DE ARTIGOS ABERTAS, com prazo final de envio no dia 08 de maio de 2018, precisamente até às 23 horas e 59 minutos (horário de Brasília) PRAZO PRORROGADO PARA O DIA 15 DE MAIO PRECISAMENTE ÀS 23H59

Salientamos a importância da leitura completa do Edital, afim de dirimir eventuais dúvidas e procedimentos a serem adotados. Para submissão de artigos deve-se estar com a anuidade em dia.

CLIQUE AQUI E CONFIRA O EDITAL COMPLETO

Em encontros passados, apenas doutores e doutorandos podiam enviar seus trabalhos para o evento. Neste ano, existe a possibilidade de a possibilidade de mestres e mestrandos submeterem artigos ao evento também. Além disso, cada autor poderá submeter no máximo 02 (dois) artigos para apresentação no evento, desde que para linhas de pesquisa cujos Grupos de Trabalhos – GTs ocorram em datas diferentes. 

11 de junho de 2018: divulgação dos artigos aprovados para apresentação no Encontro



¿Cómo someter su artículo?

El envío de artículo al VIII ENCUENTRO INTERNACIONAL DEL CONPEDI se realizará en 3 etapas

1ª LLENADO DEL REGISTRO 
Es necesario la creación del registro para acceder al sistema de envío de artículos. Este registro es gratuito y pasará por aprobación de la comisión organizadora del evento.

2ª APROBACIÓN DEL REGISTRO

En esta etapa el autor deberá enviar un e-mail a [email protected] solicitando la aprobación de su registro. Este e-mail debe contener NOMBRE COMPLETO, DOCUMENTO DE IDENTIFICACIÓN y E-MAIL, de acuerdo con los datos utilizados en el llenado del registro. Después del envío el plazo para la confirmación de los organizadores es de hasta 5 días.

3ª SUBMISSÃO DO ARTIGO

Una vez confirmada la aprobación, podrá iniciar el proceso de envío.

VEA TODAS LAS INSTRUCCIONES



Inscrições

Para a apresentação de artigos, o pagamento da taxa de inscrição deverá ser obrigatoriamente na modalidade “apresentação de artigo”. Lembrando que os autores que não forem participar do evento estão dispensados do pagamento da inscrição.

A taxa de inscrição deverá ser paga exclusivamente através do acesso ao link disponibilizado no portal do CONPEDI, na área restrita. Essa poderá ser quitada através das opções de cartão de crédito, débito online ou boleto bancário.

O pagamento através de boleto bancário estará disponível somente até o dia 16 de agosto de 2018

 

APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS

Inscrições com desconto: De 11 de junho a 16 de agosto de 2018 = R$360,00

Inscrições sem desconto: De 17 de agosto a 08 de setembro de 2018 = R$500,00



Programação

Em breve a programação completa do evento será disponibilizada 



Palestra de Abertura

A Palestra de abertura acontece no dia 06 de setembro com o palestrante Prof. Dr. Gregorio Robles.

Prof. Dr. Gregorio Robles Morchón

Gregorio Robles Morchón (Bilbao, 21 de abril de 1948), licenciou-se em Direito pela Universidade de Madri (1970) e obteve seu título de Doutor em Direito pela Universidade Complutense (1975), onde tornou-se professor titular em 1978.

Membro titular da Academia Real de Ciências Morais e Políticas (Madri), desde 2009, também exerce atividade como catedrático de filosofia do direito (desde 1983) na Universidade das Islas Baleares (Palma de Mallorca) dedicando-se aos temas da Teoria do Direito, Filosofia do Direito, Sociologia Jurídica e Metodologia das Ciências Jurídicas.

É membro de diversas instituições acadêmicas pelo mundo afora, entre elas do Instituto Hans Kelsen (Viena, Austria) e Associação Alexander von Humboldt na Espanha. Desde 1991, é professor de direito da União Europeia na Pontifícia Universidade de Salamanca, campus de Madri. Faz parte de diversos comitês editoriais e científicos, entre eles da Revista de Direito Constitucional e Internacional do Instituto Brasileiro de Direito Constitucional (São Paulo, Brasil), Revista “Diálogo de Saberes” da Universidade Libre (Bogotá, Colombia), entre outros.

Sua atividade científica já é vasta, contando com 39 livros publicados e 106 trabalhos publicados entre artigos e capítulos de livros. Além disso tem publicado dois romances e diversos artigos de opinião no jornal ABC (desde 1997) e no La Razón (1998-2006).



Dicas de Turismo

locais de visitação

 Conheça alguns dos locais mais visitados na cidade. Aproveite para conhecê-los em Zaragoza também!

BASÍLICA DEL PILAR:
A grande atração de Zaragoza é a Basílica del Pilar, onde está a santa padroeira da Espanha e um pilar de jaspe.

RIO EBRO:
O Ebro é o rio com mais quantidade de água da Espanha, sendo o segundo da península Ibérica depois do Douro.

TEATRO ROMANO:
É possível ver ruínas pela cidade. Um pedaço da muralha romana pode ser vista na praça principal, perto da igreja do Pilar.

PALÁCIO DE LA ALJAFERÍA:
O palácio foi construído no tempo dos mouros, século XI, por ordem de Al-Muqtadir, para ser a residência dos reis. Ele é o único grande monumento conservado de arquitetura islâmica da época das Taifas.

MUSEU GOYA:
O museu está localizado na Casa Jerónimo Cósida, um prédio civil do renascimento zaragozano. O acervo conta com 500 obras, sendo que 15 delas são de Francisco Goya.

MUSEU PABLO GARGALLO:
Gargallo foi um grande maestro da escultura contemporânea universal.O museu de Zaragoza conta com um acervo espetacular do artista.

MUSEU DE ZARAGOZA: 
Este museu conta com um acervo bem variado, com obras de arqueologia, bellas artes: pinturas e esculturas góticas, renascentistas, de Goya e dos séculos XIX e XX. Também oferece exposições temporárias. Entrada gratuita.

Fonte das informações turísticas: https://bit.ly/2J001ic



Curiosidades sobre Zaragoza

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Zaragoza é uma cidade com muitas curiosidades, mas pouco conhecidas. Iremos te contar um pouco sobre as anedotas da cidade. Acompanhe!

1- O nome de Zaragoza vem de Caesaraugusta, em homenagem ao imperador César Augusto. De lá derivou ao árabe de Saraqusta, até terminar em Zaragoza.

2- As obras do atual templo do Pilar, começaram em 1681. Embora seja difícil acreditar, eles não terminaram até 1961: quase três séculos depois.

3- El Pilar é o único edifício cristão no mundo que contém símbolos taoístas. Estes símbolos são signos formados por seis linhas dispostas alternadamente em contínuo e descontínuo, feitas com os tijolos das oito cúpulas das naves centrais do edifício.

4- Quando a Ponte de Santiago foi inaugurada em 1967, foi considerada a ponte mais larga da Europa.

5- Paseo de la Independencia, é a rua principal da cidade de Zaragoza, mas não é a mais longa. A que detém tal registro é a Hispanidad Ronda, com aproximadamente 14 quilômetros de comprimento.

6- O da Aljafería, é o palácio árabe localizado mais ao norte do mundo.

7- A cidade se tornou notícia mundial em 1934: um ser misterioso e invisível mantinha conversas do fogão de uma casa particular, um fato singular que não pode ser explicado. Os meios de comunicação estrangeiros, como a BBC britânica, o Washington Post ou Movietone-FOX, foram até Zaragoza para cobrir as notícias. O evento ficaria na história como "El duende de Zaragoza".

Essas são apenas algumas, das várias curiosidades que a cidade guarda em sua história!

Fonte das curiosidades: https://bit.ly/2qHyn37